15ª Reunião do Comitê Consultivo da Biblioteca Virtual em Saúde Pública do Brasil

São Paulo, 14 de maio de 2014, das 9h às 12h
Local: Escola Municipal de Saúde

Introdução
A 15ª Reunião do Comitê Consultivo da BVS Saúde Pública Brasil foi realizada no dia 14 de maio de 2014, na Escola Municipal de Saúde, em São Paulo, com a presença de representantes das instituições do seu Comitê Consultivo Nacional.

Participantes
1. ABRASCO
Prof. Moisés Goldbaum – Editor Científico da Revista Brasileira de Epidemiologia – FM/USP

2. BIREME
Adalberto Otranto Tardelli – Diretor
Carmen Verônica Abdala – Gerente SCI e PFI/BIREME, Secretaria Executiva BVS-Brasil
Renato Murasaki – Gerente MTI e AFI/BIREME
Lilian Calò – Comunicação Científica/BIREME
Joanita Barros – Bibliotecária MIP/PFI/BIREME
Juliana Sousa – Bibliotecária MIP/PFI/BIREME
Thaísa da Rocha Ziliotto MIP/PFI/BIREME

3. FIOCRUZ
Vania Guerra da Silva – Chefe Biblioteca de Saúde Pública – ICICT/FIOCRUZ
Maria de Fátima M. Martins – Coordenadora da Rede de Bibliotecas da Fiocruz/ICICT
Ana Maria Neves Maranhão – Chefe da Seção de Informação – CTIC
Luciana Danielli de Araújo – Coordenadora da Biblioteca Virtual em Saúde FIOCRUZ

4. FSP/USP
Maria do Carmo Avamilano Alvarez – Chefe técnica da Biblioteca: Centro de Informação e Referência em Saúde Pública
Alice Mari Miyazaki de Souza – Supervisora técnica
Profa. Angela Maria Belloni Cuenca

5. Ministério da Saúde
Shirlei Rodrigues Gonçalves – CGDI
Sandra Teixeira – Bibliotecária – CGDI/SAA/SE

6. OPAS/OMS Brasília
Dr. Nando Campanella – Coordenador UT Gestão do Conhecimento e Comunicação

Agenda

Boas-vindas, abertura e revisão da pauta
Maria do Carmo (Carminha) da Faculdade de Saúde Pública da USP (FSP/USP) deu as boas vindas e convidou todos os participantes a se apresentarem. Após consultar os membros quanto à pauta, deu início à 15ª Reunião do Comitê Consultivo da BVS SP Brasil.

Conciliando as atividades da BVS Saúde Pública com a rotina do serviço
A Profa. Angela Cuenca da FSP/USP, convidada a apresentar sua experiência na gestão da Biblioteca/CIR da FSP e da BVS SP, discorreu sobre o tema “Conciliando as atividades da BVS Saúde Pública com a rotina do serviço” mostrando como foi possível manter as atividades da Biblioteca/CIR, seja nas épocas em que houve a possibilidade de contratação de funcionários extraquadro, seja em períodos em que se tornou necessário contar somente com a equipe fixa. A experiência foi facilitada pelo Modelo de Gestão matricial utilizado pela Biblioteca/CIR, o que permitiu maior flexibilidade e oportunidade de participação da equipe. Descentralização, multidisciplinaridade e capacitação foram alguns dos desafios para a manutenção da BVS SP. Outro desafio foi manter o know-how na biblioteca. Oportunidades foram criadas, por meio de projetos oferecidos pela Universidade, que possibilitaram a troca de experiências com alunos de pós-graduação (especialistas em saúde), onde todos aprendem. Foram ainda relatados alguns casos de ex-colaboradores e os rumos que tomaram após sua participação em atividades da BVS SP na Biblioteca/CIR, como experiências bem-sucedidas. O aprendizado ao longo da vida, o aprender a aprender é o que permite a continuidade aos trabalhos.

Marcos da BVS Saúde Pública
Adalberto, Diretor da BIREME, apresentou os marcos da BVS Saúde Pública. Há uma dúvida se a BVS SP foi a primeira ou a segunda BVS a ser lançada, pois foi concomitante com a BVS Adolec. Falou sobre o papel do Comitê Consultivo, da Secretaria Executiva e da matriz de responsabilidade. Apresentou as várias fontes de informação, oferecidas desde o lançamento, como o LIS, que trouxe qualidade de informação em relação ao Google, Textos Completos, Terminologia, Estrutura Temática (temas de saúde pública), Portal de Teses, Diretório de Eventos, Revisão das Áreas Temáticas da BVS SP Brasil, Clipping de Notícias. Ressaltou que o Portal de Pesquisa da BVS SP é o melhor que temos hoje. Houve um aumento crescente do número de usuários. Ele também mencionou a falta de um observatório na BVS SP, como um estudo da evolução temática, por exemplo.

Informe da Secretaria Executiva
Carminha informou que Maria Imaculada, responsável pela Gestão de Projetos da Biblioteca/CIR da FSP/USP, estava em férias e que ela muito ajudou no acompanhamento das atividades de Secretaria Executiva e na organização da reunião. Comunicou que o informe do período está pendente e solicitou as apresentações dos presentes para que possa ser elaborado e disponibilizado no portal. Sugeriu que a matriz de responsabilidades pudesse ser discutida futuramente numa reunião técnica. Relembrou que a 1ª reunião do Comitê Consultivo foi realizada em maio de 1999 e que este ano estamos realizando a 15ª reunião. Apresentou as atividades desenvolvidas pela Secretaria Executiva em 2012, dentre elas a atualização de conteúdos do site da BVS SP, a revisão da terminologia para as estratégias de busca das áreas temáticas e subtemas do Portal da BVS SP (atividade do TC50), o preparo e realização da 14ª Reunião do Comitê Consultivo da BVS SP (abril 2012) e a atualização e disponibilização no site da Matriz de Responsabilidades. Mencionou ainda a participação na VI Reunião da Rede BVS no Brasil e XIV Reunião da Rede Brasileira de Informação em Ciências da Saúde, realizadas em Gramado, RS (setembro 2012) e também na 6ª Reunião de Coordenação Regional da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS6), realizada em Washington, DC (outubro 2012). Em seguida, apresentou as atividades realizadas em 2013, como a colaboração da Secretaria Executiva na migração para a plataforma WordPress, do site da BVS SP e do Clipping de Notícias. Por fim, mencionou a participação na IV Reunião do Comitê Técnico da BVS Brasil e no 1º Fórum da Rede BVS Brasil, realizados na Fiocruz, RJ. Também, em 2013, a Biblioteca/CIR recebeu a visita das bibliotecárias Vânia, Gizele e Conceição, do ICICT/Fiocruz, com o objetivo de conhecer as atividades de secretaria executiva da BVS SP. Isto porque na 13ª reunião houve uma proposta da Profa. Angela de haver um rodízio entre as instituições, ocasião em que a FSP/USP ficou responsável pela Secretaria Executiva da BVS SP.

Informe das Instituições do Comitê Consultivo
Sandra Teixeira do Ministério da Saúde (MS), apresentou as fontes de informação sob responsabilidade do MS, de acordo com a matriz de responsabilidade, iniciando pelo Coleciona SUS. Em seguida, falou sobre terminologia, glossários temáticos já lançados (Gestão Editorial, Controle do Câncer, Ciência e Tecnologia em Saúde) e em fase de elaboração dos termos (Saúde do Homem e Fatores de risco em câncer), Glossário Saúde Suplementar, legislação em saúde pública (nova interface do Saúde Legis em parceria com o DataSUS). Informou ainda que a BVS do Ministério da Saúde está acessível pelo WordPress, mas vai passar para Joomla.

Vania Guerra do ICICT/FIOCRUZ apresentou indicadores e resultados da Biblioteca de Saúde Pública 2012/2013, em relação às seguintes fontes: Teses e dissertações em saúde pública, Portal Thesis, Diretório de Defesas e Eventos, Clipping de Notícias e Base LILACS. Quanto ao Diretório de Eventos tem havido problemas, não sendo possível sua atualização. Com o desenvolvimento na nova plataforma, o problema deverá ser solucionado. O Clipping de Notícias já está operando na plataforma WordPress, mas a ferramenta não permite que se visualize quantos registros foram inseridos por instituição e por ano. Adalberto comentou que a escolha pelo WordPress foi uma mudança estratégica na BIREME. Vania informou que foram feitas mais de 40 revisões sistemáticas no período e ministrados cursos aos alunos de pós-graduação da ENSP e capacitação de grupos de pesquisa. Foram realizadas oficinas de trabalho em Moçambique. De acordo com Fátima, em certa medida, os treinamentos são frustrantes, pois não há continuidade, há deficiência em informática (terceirizada). Luciana mencionou que falta entendimento do modelo de trabalho em rede. Verônica complementou dizendo que a BVS SP é um importante instrumento de cooperação com países de língua portuguesa e isso fortalece a BVS. Vania encara como desafio coordenar a Secretaria Executiva, fortalecer a rede de cooperação, dar continuidade ao Projeto BVS Arouca, reativar o projeto de digitalização de teses e dissertações. Como avanços, foram mencionados maior integração Biblioteca X Pós-Graduação ENSP, inserção na grade curricular dos cursos de Pós-graduação da ENSP, impacto das aulas de busca bibliográfica e Zotero Standalone e o oferecimento de cursos de Inverno/Verão.

Dr. Nando da OPAS/OMS informou que esta foi sua última participação no Comitê, pois sua aposentaria sairia em um mês. Considerou que a OPAS poderia ter apresentado mais resultados, poderia ter divulgado mais a experiência da BVS e falou do risco em relação às pequenas bibliotecas virtuais, da queda do interesse e da possibilidade de uma BVS se tornar um cemitério digital. Ele defende o fortalecimento das BVS consolidadas e menor quantidade de BVS pequenas para assim contribuir com uma melhor qualidade da Web e servir de canal de comunicação com a imprensa. A BVS é um serviço que precisa de staff permanente, com projetos de 5 anos e não de 5 meses. Destacou a importância da gestão do conhecimento.

Pela BIREME, Verônica e Renato falaram sobre o desenvolvimento do Clipping de Notícias, já na nova plataforma e outras inovações em fase de homologação como interface responsiva (para dispositivos móveis), acessibilidade. Verônica mencionou a colaboração da BIREME na manutenção do servidor e backups da BVS SP, bem como toda a infraestrutura para o seu funcionamento na Web.

Prof. Moisés, da ABRASCO, entende que é necessário rever o papel da ABRASCO no Comitê Consultivo. Para ele a BVS SP é um movimento exitoso e a ABRASCO se coloca mais como sua usuária, podendo promover o debate sobre a gestão do conhecimento.

Alice, pela FSP/USP, apresentou as atividades desenvolvidas pela Faculdade de Saúde Pública da USP, por meio de sua biblioteca, em 2012-2013. Em relação à Capacitação, desde 1993, a Biblioteca/CIR oferece treinamento da LILACS e desde 2004, treinamento sobre BVS SP. Os treinamentos, oferecidos em duas modalidades (treinamentos e disciplinas) foram realizados em 2012 e 2013, com cerca de 500 alunos treinados. Falou sobre a experiência da Audioteca, utilizando-se não só da equipe fixa, mas também de equipe extraquadro, por meio de Projetos da USP, que tem possibilitado a continuidade deste trabalho. Alice apresentou os resultados do LIS, coordenado pela Biblioteca/CIR, e destacou a importância de se rever a necessidade de aprofundar discussão sobre essa fonte. Em relação à LILACS, a FSP/USP está indexando 8 títulos e participou como piloto na implantação da nova plataforma de submissão (LILACS Submission). Mencionou as demais colaborações: divulgação da terminologia, Clipping de Notícias, Diretório de Eventos, SCAD, Portal de Revistas Científicas da Saúde (SeCS) e Diretório de Teses. Em relação a essa última fonte, informou que a biblioteca está se empenhando na disponibilização de suas dissertações e teses, com mais de 150 mil páginas digitalizadas, a partir de um projeto FAPESP.

BVS Saúde Pública Brasil – Debates e perspectivas futuras
Verônica comentou que até agora a matriz de responsabilidade esteve focada no portal (operacional), mas que é necessário pensar em grandes desafios, como gestão do conhecimento e a tradução do conhecimento ITD, escutar o usuário para ver se está atendendo, dar razão a todo o trabalho.

Fátima da FIOCRUZ apresentou várias propostas para a BVS Saúde Pública: fortalecimento da rede de cooperação para ampliação das parcerias e regionalização; realinhamento de produtos e serviços (estudo de usuários e necessidades); análise da usabilidade e navegação no BVS site; promoção da conexão com os repositórios institucionais ou temáticos; desenvolvimento de ferramentas de acesso para celular e tablets; personalização e serviços de alerta; promoção e marketing nas redes sociais; capacitação permanente de usuários (maior investimento em EAD); submissão de projeto para o Edital BVS. Em relação às Notícias em Saúde Pública, sugeriu a atualização do WordPress, ampliação das mídias e categorização das notícias

Shirlei do MS falou da importância da BVS SP e que o MS já é parceiro da BIREME na Secretaria da BVS Brasil e que concorda com a rotatividade e que isso tem tudo a ver com a rede. Falou sobre a mudança para o WordPress como uma sugestão da CGDI e sobre a Gestão do Conhecimento.

Vânia sugere maior realização de reuniões técnicas virtuais.

Prof. Moisés menciona que sente falta do pessoal executivo da saúde, gestores (CONASS, CONASEMS). Neste sentido, Luciana da FIOCRUZ comenta que a BVS FIOCRUZ Integralidade já tem essa atuação, incorporando escolas técnicas do SUS, BVS Educação Profissional e a RIPSA, com o CONASEMS.

Recomendações e propostas:
– Nova Secretaria Executiva, coordenada pela FIOCRUZ
– Revisão da matriz de responsabilidade
– Criação de grupos técnicos (discussões mais constantes)
– Ampliação do Comitê Consultivo